Envie o seu poema

Para inscrever-se, basta enviar sua obra para o e-mail:
manedocafe@gmail.com

Lembrem-se de inserir, no campo Assunto, o título do projeto: Folhinha Poética

27 comentários:

  1. Poemas de deslumbra

    O regresso do pesadelo de infância
    Sinto-me como golfinho em iminência
    Nas bermas de um querer sólido
    Como o deslize dos torpedos

    Que nas alvoradas voam em meus pensamentos
    Ao consolo dos meus quebrados sentimentos
    Estampado nos olhos de quem e cega de paixão
    Pelas as luzes e beleza ilustrada pela ilusão

    Que ao despertar a beira da janela
    Lá no meu bairro com encanto de estrelas
    Nas bermas e escombros de penumbra

    Que corroído de solidão chorava
    Quando em sua voz me lembrava
    Em meus poemas de deslumbra.
    De Sanjo Muchanga
    Aos 04. 03.2013

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Por favor, envie o seu email para que possa mandar o teste da Folhinha. Grato.

      Eliminar
    2. meu email para teste da folhinha dmuchanga@ymail.com

      Eliminar
    3. Este comentário foi removido pelo autor.

      Eliminar
    4. Tinha que ser do meu querido amigo e Poeta Sanjo Muchanga!

      Eliminar
  2. Poemas de minha autoria - se aproveitável algum, ficarei mui contente.

    Se meu versar parece insano
    Não ignore
    São resquícios de tristeza de um sonhador frustrado
    Se pareço atrevido a ponto de afugentar almas mais compreensivas
    Não ignore
    São desabafos de um sujeito que acreditou ser capaz de entender o inintendível
    Se pareço versátil a ponto de ir de zero a cem em um segundo
    Não ignore
    São formas que faço uso para tentar disfarçar este sintoma de bipolaridade pertinente
    Se parece está eufórico e n'um instante mudo a ponto de parecer está envolto em tédio
    Não ignore
    São talvez, válvulas de escape que utilizo para dissimular esta minha insensatez.

    Outro:
    Se difere o meu versar
    dos tantos que vejo aqui
    Deve ser porque sonhar
    Inda não desaprendi
    Eu insisto em planejar
    Imagino que há de vir
    Um tempo de acreditar
    Aguardemos o porvir
    Essa gente à chegar
    Quem sabe saiba distinguir
    Teorias e promessas
    Do que em voga a iludir.

    Outro:
    O tempo não perdoa
    Quem perde muito tempo
    Dando tempo ao tempo
    Deixando o tempo passar
    Quando no tempo acordar
    Vera que não há mais tempo.

    Outro:
    Os homens dividem-se em duas partes: os que acreditam na evolução da humanidade - na qual o material é apenas complemento - e os que priorizam o TER em detrimento do SER.

    Outro:
    Se focas e não vês alvo
    Em dia de sorriso cinza
    Enfies o os pés na estrada
    Quem sabe encontraras
    Motivos, na próxima esquina.

    Outro:
    Quando paro o tempo:
    Me transporto ao futuro
    viajo para o passado
    faço análise do presente
    constato: tem algo errado
    quantos sonhos - era utopia
    o mundo sonhado um dia
    me perdi na euforia
    pago o preço da ousadia
    percebo: estava enganado.

    Outro:
    A gente não se permite
    Mas...
    Por tal
    Paga juros...
    Por vezes exorbitantes
    Por o que não deve.

    Outro:
    Pouco ou nada adianta
    O pote com mel
    Se ao tentar bebe-lo
    O ferrão da abelha
    Deixa um sabor amargo
    Qual fosse fel?

    ResponderEliminar
  3. Conteúdo dos meus livros - Divagando nas Asas da Imaginação, Atraversado, As Aventuras de um Zemane no Planeta Ohnos e Paranoias Marionetizantes: http://balaiadadepalavras.blogspot.com

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mudei o endereço do blog - e tem novos poemas. Mui grato por os "aproveitados".

      Novo blog: http://burussudeleyras.blogspot.com

      Eliminar
  4. MARAVILHA ! Tem vaga em 2015? afra.afranio@gmail.com

    ResponderEliminar
  5. A noite tem fogo
    Fogo avassalador
    Que nos consome,
    Que nos queima, que nos mata!
    Tem fogo devorador
    Que nos abrasa
    Que nos dissipa
    Que nos restringe
    Que nos constrange
    E, da sua tristeza nos sacia
    Como um peregrino que se nos avizinha.
    Assanhado na sua dança.
    Que dura não apenas um instante
    Mas uma eternidade,
    De tempos em tempos
    Que nos vasculha a memória
    E, nos sobressalta em pequenos assaltos
    Que a vida não permite contemplar
    Porque já nos perdemos no tempo
    E, nos consumimos em nossas misérias
    Silenciadas por um futuro que o passado calou.
    Porque nas asas em que me deito
    São alturas incalculáveis pelo homem.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Timóteo envie o seu email para que possa lhe enviar o teste da folhinha para a sua apreciação.mande para manedocafe@gmail.com

      Eliminar
    2. timoteomiguel@hotmail.com
      Abraços...

      Eliminar
  6. Respostas
    1. Mande um poema seu para o email manedocafe@gmail.com

      Eliminar
  7. Bom dia! Gostaria de divulgar meu novo trabalho, o livro Anacronia.

    http://www.amazon.com.br/ANACRONIA-Duma-Molly-ebook/dp/B019EVLW2U/ref=sr_1_1?ie=UTF8&qid=1450277732&sr=8-1&keywords=anacronia+duma+molly

    Obrigada! Beijos!

    ResponderEliminar
  8. ..

    Oração Poética Segundo Silas Corrêa Leite
    (Salmo-Oração de Jesus Cristo)

    Jesus Cristo não era de fritar bolinho
    Transformou logo água em vinho
    Jesus Cristo não era de papo pro ar
    Dava o peixe e ensinava o milagre de pescar
    Com Jesus não tinha treta ou truta
    Perdoou leproso, ladrão e prostituta
    Em nome Dele ainda hoje nada medra
    Porque ressuscitou Lázaro da pedra
    Subiu a montanha para jejuar e prosear
    Contando belos causos num parabolar
    E quando crucifixado em seus temores
    Perdoou também até os crucificadores
    Mas Jesus era às vezes da pá virada
    E desceu relho e chicote na cambada
    Não traiu nunca as antigas chamadas Leis de Moisés
    Mas colocou no barco dos pescadores de almas finca-pés
    Foi a Jerusalém montado no lombo de um burrico
    E fez o traidor Judas Escariotes pagar mico
    Ressuscitou dias depois de enterrado
    Para muito além da morte ser glorificado
    Nunca fundou igreja, totem, ou religião
    Do sígnico de si os sinais dos cravos na mão
    E entre Pilatos e outras serpentes e cobras
    Pregou a humanista filosofia de fé com obras
    Nunca inventou símbolo de crucifixo ou cruz
    Mas 'salmou' a caridade como espírito de luz
    Com ele era uma no cravo e outro na ferradura
    Sem dogma, falsos santos; mas puro amor, candura
    O arrependido ladrão ao lado de sua cruz perdoou
    Porque em amor portentoso até no Gólgota se elevou
    Não inventou império, mentira, dogma, paradigma
    Amou os bem-aventurados humildes ainda por cima
    A sua família mesmo era só a sua igreja
    Espírito esplendente de alma benfazeja
    Chorando no deserto não dava nó em pingo´água
    Nem carregou contra pecadores qualquer mágoa
    Porque se criando missão veio nos “almar”
    Na humildade santa procurou se referenciar
    Está conosco assim na terra como nos céus
    Quando nos píncaros da glória rasga os véus
    Hoje reina sentado à direita do bom Deus
    Esperando a salvação na terra dos filhos seus
    Portando bem-aventurados sejam os remidos
    No futural e desde os antigos tempos idos
    Na Casa do Pai, disse, há muitas moradas
    E em espírito e luz fundou tantas jornadas
    De testemunho deixou seu magno exemplo
    E a vida de cada seguidor como um templo
    Sem santos, impérios, nem vãs e vis filosofias
    O arco da promessa se abriu em nossos dias
    Amá-Lo é seguir sua angelical bondade
    Pois a verdadeira chave da redenção é a caridade
    Bendito é o verdadeiro filho de Deus, o Senhor Jesus
    E ao servi-Lo em tanto amor ao paraíso conduz
    Por sua graça, sacrifício, e magnânima luz
    Até o vale da salvação celeste em Jerusalém
    Assim seja, Amém
    -0-

    Silas Corrêa Leite – E-mail: poesilas@terra.,com.br
    www.artistasdeitarare.blogspot.com/
    Autor do livro NÃO DEIXEM QUE TE TIREM A PRIMAVERA
    Livro de Alta Ajuda, Editora www.clubedeautores.com.br
    Texto da Série “O Livro do SILAS - Amai-vos uns aos Outros - Salmos Contemporâneos” – Livro inédito do autor

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Altamente criativo e descontraído. Aborda com simplicidade e profundidade toda a verdade da Boa Nova do Cristo.

      Eliminar
  9. Mulher
    Deus criou um ser
    Cheio de força e poder
    Acontece que poucos vão ver
    O que poderá ser
    A salvação do mundo
    É através do AMOR
    Ela carrega em si
    A força de vencer obstáculos
    Todos os tentáculos
    Braços para salvar
    Proteger, ensinar
    Carinho para doar
    Toda a beleza de amar
    Mulher, ser abençoado
    Divina, coração sagrado
    Feminina, forte sina
    Seu ser deve ser respeitado!
    Danusalmeida - 21-11-2016
    maria.danusa.almeida@gmail.com

    ResponderEliminar
  10. Ofereço uma flor
    Ofereço uma flor
    Para você
    Por merecer
    Alegre-se
    Tudo passa
    Você terá a graça
    De até achar graça
    Do que hoje passa
    Uma flor para você
    Por merecer
    Quero lhe ver sorrir
    E tudo em sua volta colorir
    Receba esta flor,
    Com AMOR!
    Danusalmeida - 21-11-2016

    ResponderEliminar
  11. não consegui mandar o email! tem algum problema com ele?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Copie o manedocafe@gmail.com e utilize o seu email. Vamos ver se assim conseguimos.

      Eliminar
  12. Algum concurso?


    http://www.recantodasletras.com.br/autores/adrianaquezado

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não. Basta mandar que se já estiver completo o ano, fica para o próximo.

      Eliminar
  13. Coração Tristeza


    No mais profundo do abismo encontro um perdido coração,
    Onde sua face a dor é sua expressão,
    Tudo ao seu redor é escuro e sem nuvens,
    Mas a lua não está para iluminar

    O dia não existe para esse assombroso coração,
    A noite é eterna sem um raio de foco de luz,
    E tudo que ele faz é ficar abatido e lacrimoso,
    Sem ter forças para levantar e sair da solidão.

    Oh coração, quanto tempo estas assim?
    Onde está sua luz e seu refúgio de salvaguarda?
    Oh coração, onde está sua sede de brilho?
    Onde está sua força para voar?

    Porque o encontrei coração?
    Porque me fazer companhia aqui?
    Aqui nesse profundo abismo.
    Juntos aqui estamos, apenas me abrace que eu o abraçarei!!!

    Fagner Silva 88
    Whats: 48 996513180

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Folhinha Poética - poemança