quinta-feira, 5 de abril de 2012

5 de abril de 2012





Por engano, na primeira edição em papel, foi colocado o poema Ser Democrático, de Maria Dimas.


Ser Democrático

Quanta beleza à mostra!
Quanta vida a fluir!
Calor, sangue, substâncias, oxigênio,
Tudo pulsa, é a vida!

Quanta podridão oculta!
No cérebro, no coração, nas entranhas!
Talvez até nos gestos, nas palavras,
No hálito puro dejeto...

Que contradição, que contraste!
Um Eu perfeito, puro, sadio,
Habita em total igualdade, em harmonia
Com um Eu defeituoso, impuro, doente...
Por imposição, somos seres democráticos.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Folhinha Poética - poemança